quinta-feira, 30 de julho de 2015

Diz-me a tua profissão, dir-te-ei como montas o sardão

Por Patife


Ao longo dos anos tenho feito um esforço hercúleo, traduzido no elevado número de pinadas, para conseguir traçar rapidamente o perfil sexual de uma mulher. Há quem diga que sou tarado. Eu acho que sou apenas um investigador empírico. Por isso, tentei estabelecer uma correlação direta, e altamente fiável, entre a profissão que as mulheres têm e a forma como gostam de fornicar. O estudo foi feito com base em 517 inquéritos aqui do meu Pacheco, realizados presencialmente por via nabal. O grau de confiança é quase tão grande como o meu nabo. Eis as principais conclusões da teoria “Diz-me a tua profissão, dir-te-ei como montas o sardão”:

Recém licenciadas em Direito: Gostam de malhar a direito por pichas tortas. Fazem tudo para subir na vida e na picha. Ação recomendada: Pinar.

Advogadas e Juízas: Regradas no tribunal, desregradas na cama. É uma espécie de compensação. São a Foda-Rainha do desregramento. Adoram ouvir nomes na cama. Ação Recomendada: Pinar.

Engenheiras Químicas: São de combustão fácil. São muito fáceis de levar para a cama e atingem o orgasmo em menos de nada. Ação recomendada: A escolha perfeita para quem gosta de rapidinhas.

Jornalistas: São as melhores sugadoras de cornetas do Universo, precisamente por terem prática diária a meter a boca no trombone. Ação recomendada: Leram a parte de “São as melhores sugadoras de cornetas do Universo”, certo?

Hospedeiras de Bordo: Adoram ter o nabo hospedado nas bordas. São completamente loucas e estouvadas na cama, o que se explica pela constante falta de oxigenação em grandes altitudes. Ação recomendada: Fugir. Apesar de grandes fodas são capazes de furar os pneus do carro, esfaquear, injuriar, ameaçar e arquitetar grandes peixeiradas públicas.

Secretárias/assistentes pessoais: Dão quecas enfadonhas e gostam de ser chamadas de fofinha ou princesa durante o acto. Gostam de pinar com peluches na cama e têm a fantasia oculta de fazer um threesome com um gajo e com o bicho de pelúcia. O mesmo deve estar repleto de manchas de suco chonal pela quantidade de vezes que já lá se esfregaram. Ação recomendada: Run Forrest, run.

Professoras: Estão habituadas a grandes calhamaços. Se tens uma picha pequena serás gozado. Com uma picha grande podes ficar descansado que sabe manusear-te o calhamaço. Gostam de ir fazendo reparos à atuação. cção recomendada: Se tens um sardão a partir de 22cm, pinar. Caso contrário, deixa isso para as pichas a sério.

Psicólogas/psicoterapeutas/psiquiatras: Fodem-te a cabeça toda. Mas também te fodem a cabeça toda do nabo. Gostam de fazer uma análise minuciosa após a queca, interpretando cada gemido, cada revirar de olhos, o tempo e ritmo da queca e a quantidade de meita produzida ao mililitro como grau do prazer alcançado. Ação Recomendada: Pinar se não tiveres nada a temer.

Atrizes: Gemem mais do que lhes seria exigido, estão sempre a mudar de posição e a fazer caras para todos os planos possíveis. Sentem que têm um holofote na sua direção e são muito prestáveis para agradar. Aceitam correções de postura a meia-foda. Se quiserem que continue a brochar basta dizer que o take não ficou bem e ela repete tudo novamente, sem protestar. Ação recomendada: Pinar.

Enfermeiras: Esqueçam tudo o que sabem. Nunca fodem de bata e não andam de collants provocantes. São de alta manutenção pois estão tão fartas de tratar dos outros que só querem que tratem delas na cama.Ação recomendada: São perfeitas para quem gosta de dar mais do que de receber.

Arquitetas: São fodas de alta manutenção. Dão quecas invariavelmente demoradas, sem espaço para improvisos, devidamente projetadas nas suas cabeças e nós temos de nos ajustar a um plano pré-concebido. Assimetrias corporais e falta de sustentação nabal não são permitidas na queca com uma arquiteta. Ação recomendada: A escolha ideal para quem aprecia quecas longas e elaboradas.

Analfabetas: Que como toda a gente sabe são virgens do anal. Ação recomendada: Analfabetizar!

Músicas: Dão-te música mas depois, na hora da verdade, armam-se em difíceis. Olham-te de lado se gemes fora do tom. Pinam ao ritmo de uma pauta musical à qual não tens acesso. Ação recomendada: Não vão na cantiga delas.

Polícias: O maior flop da história da fodenguice. São rígidas e gostam de dar ordens. Estão mortinhas para usar o cassetete como strap-on no pacote dum gajo. Ação recomendada: Fugir com o rabo à seringa.

Cabeleireiras: A tatuagem entre as costas e o rabo, também conhecida como tramp stamp, as unhas de gel, as raízes pretas nos cabelos louros ou a permanente não deixam grande espaço de manobra. Ação recomendada: Dão para um bom bico, à falta de algo melhor para fazer.

25 comentários:

  1. Ainda bem que sou advogada....

    ResponderEliminar
  2. Para se exercer a profissão de "Analfabeta" é necessária uma licenciatura ou basta um curso técnico-profissional?

    ResponderEliminar
  3. Nunca pares de escrever. You always made my day ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não páro é de pinar. Always made my way. ;)

      Eliminar
  4. lololololololol... muito bem.

    abraço

    ResponderEliminar
  5. Estou sempre a aprender contigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Heresia. Só se aprende a pinar. Vou aprender mais um bocadinho. ;)

      Eliminar
  6. Respostas
    1. E não viste tu o que faço com o lábio. ;)

      Eliminar
  7. Pinas tanto que metes inveja a todos os gajos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aos homens meto inveja. Às mulheres meto este gigantesco nabo. Parece-me um bom negócio. Mas olha que não é inveja que quero meter. É inspiração. Sim, uma espécie de Musa sexual. O quê, é pedir demais? ;)

      Eliminar
    2. Tens de fazer um post para ajudar os homens a ter a tua sorte. Isso sim é que era bom

      Eliminar
    3. Infelizmente, não consigo ajudar ninguém a ter um bacamarte de 30 centímetros... Faz toda a diferença. Elas comem com os olhos e estão sempre atentas a um bom papo de picha. Estamos expostos a triagem visual. ;)

      Eliminar
  8. Onde fui achar o Patife após tantos anos que andei perdida por outras paragens.
    Enfermeira, confere.
    Mas...enfermeira gosta que o "Utente" fique bem atendido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipocante Irrelevante Delirante4 de agosto de 2015 às 18:57

      Só discordo das taxas moderadoras. Em defesa do serviço pub(l)ico.

      Eliminar
    2. Utentas-me. Há lá melhor atendimento que o de uma boa enfermeira dedica à causa. À causa do utente, claro. ;)

      Eliminar
  9. Não falas da minha profissão...
    Nem sabes o que te esperava! O Pacheco ficava de pernas para o ar e tu nunca mais serias o mesmo!
    Se te apanho, nunca mais haverá Patife!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahaha. Se me apanhasses, apanhavas tantas que ficarias perto de um mês em convalescença. Não é qualquer senisga que aguenta o ritmo de bombada do Pacheco. Mas já agora, que profissão é essa de que não falo? Tenho de incluir um novo capítulo no estudo? ;)

      Eliminar
    2. Ahahahahahah, digo eu! Imagina! Em convalescença ficarias tu para o resto da tua vida. Para o Pacheco seria morte certa, a tua língua ficaria pendurada, nem os dedinhos conseguirias esticar...
      Querido Patife, eu não tenho uma qualquer senisga! Eu tenho A SENISGA, como tu nunca encontraste! A tua sorte é que tu andas pelo Chiado e eu estou muito longe
      Profissão? vai tentando adivinhar...
      E toma lá um beijo!

      Eliminar
  10. Oh patife faltou aí a minha profissão :p e as engenheiras agrónomas?
    Contínua a escrever ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipocante Irrelevante Delirante4 de agosto de 2015 às 19:00

      Sabem apreciar um bom nabo?
      Mesmo que o dito não esteja brilhante e segundo as normas iso, percebem que o importante é a textura, sabor, e capacidade nutritiva.

      Eliminar
    2. Para mim engenheira é engenheira. Não aprofundo mais que isso. Quem aprofunda é aqui o Pacheco. ;) Mas confiaria numa engenheira agrónoma para me tirar a maior rentabilidade do nabo. ;)

      Eliminar